domingo, 30 de outubro de 2011

Gente que faz a diferença para um mundo melhor (CIRANDA DE PAIS)


Tenho falado muito em minhas entrevistas e debates (como já tinha escrito em meu livro e em meus textos) sobre a importância da primeira grande área da segurança pública. Esta primeira grande área trata das questões de fundo, estruturais, existenciais e filosóficas - ainda que práticas - da vida, do indivíduo e da segurança pública. Para pensarmos uma nova segurança pública, temos que pensar uma nova sociedade, com novos valores, com uma nova cultura, mais solidária, bondosa e próxima do ser humano.
Os pais, as famílias e cada um de nós temos funções essencias e decisivas neste processo. Resolvi mostrar, para àqueles que não acreditam, que existem muitas pessoas fazendo a diferença, redescobrindo a razão de viver em sociedade e de fazer o bem, pessoas que sabem por que existem.
A partir de hoje, passo a divulgar em meu blog exemplos de ações que fazem a diferença, para que um dia todos entendam que enquanto a bondade e a solidariedade forem motivos de vergonha, existe pouca esperança para a nossa sociedade e para a segurança pública.
Inauguro este espaço em meu blog para divulgar o Projeto Ciranda de Pais, desenvolvido pela professora Cristiane Arns de Oliveira a partir dos resultados de sua tese de doutorado em Ciências da Educação, realizado pela Universidade de Fribourg (Suíça).
A finalidade do projeto é promover e enriquecer as relações entre escola e família para prevenir o fracasso social e escolar dos alunos.
O objetivo geral é criar estratégias de prevenção com a família e com a escola aos problemas relacionados à violência, drogas e delinquência nos espaços escolares e não escolares.
Conheci o projeto este final de semana e ele é, realmente, encantador. Uma esperança e um alívio no mundo atual.
Para melhor conhecerem o Projeto recomendo o site

domingo, 23 de outubro de 2011

Alucinógeno presente no cogumelo pode causar alteração duradoura de personalidade

Notícia retirada do UOL Ciência e Saúde

Uma única dose do alucinógeno psilocibina, o princípio ativo dos chamados "cogumelos mágicos", pode provocar uma mudança de personalidade permanente. A conclusão é de um estudo realizado por cientistas da Universidade Johns Hopkins, nos EUA.

Os pesquisadores descobriram que os usuários ficaram com o que as pessoas chamam de "mente mais aberta" após o uso da substância. A característica envolve aspectos como imaginação, senso estético, sentimentos e ideias abstratas. A mudança foi detectada em 60% dos 51 indivíduos que participaram do estudo.

A pesquisa foi publicada no periódico Journal of Psychopharmacology.

Os participantes do estudo passaram por duas a cinco experiências com a substância, separadas por um intervalo de ao menos três semanas. Em cada sessão, os voluntários se deitavam em um sofá e usavam fones de ouvido e máscara nos olhos, a fim de evitar distrações.

A personalidade dos voluntários foi analisada por meio de questionários aplicados um ou dois meses após acada sessão e cerca de 14 meses após a última experiência. Griffiths acredita que a mudança na personalidade dos usuários deve ser permanente, já que foi observada após tanto tempo.

Griffiths ressalta que alguns dos voluntários declararam ter experimentado forte sensação de medo ou ansiedade em parte das sessões (o efeito alucinógeno chega a durar oito horas). Mas nenhum deles teve sintomas graves. De qualquer forma, ele avisa que esse efeito negativo pode ser mais intenso quando o alucinógeno é usado sem supervisão.

Outra questão apontada pelo pesquisador é que a mudança de personalidade foi verificada especialmente nos voluntários que relataram experiências místicas, ou seja, uma sensação de conexão com o todo, durante o uso da substância. Praticamente todos os participantes se consideravam espiritualmente ativos, mais da metade tinham diplomas de pós-graduação e todos podiam ser considerados psicologicamente saudáveis.

Griffiths acredita que a psilocibina pode ter utilidade terapêutica. Ele atualmente estuda a possibilidade de usar o alucinógeno para ajudar pacientes com câncer a lidar com a ansiedade e a depressão após o diagnóstico e fumantes a largar o vício.

sábado, 15 de outubro de 2011

Para entender a Segurança Pública - Entrevista Coletiva Band

O Programa Entrevista Coletiva da Band entrevistou o Delegado Rafael F. Vianna, autor do livro "Diálogos sobre segurança pública: o fim do estado civilizado".
O programa tem o mesmo formato do Roda Viva da TV Cultura, participando da entrevista os jornalistas Fabrício Binder (Diretor de Conteúdo da Band Paraná), Mara Cornelsen (Colunista da Tribuna do Paraná e Apresentadora da Rádio Paraná Educativa), Val Santos (Apresentador do Brasil Urgente - Paraná), Adilson Arantes (Diretor de Jornalismo da Rádio Banda B e Apresentador do Tribuna da Massa da Rede Massa) e Cíntia Floriani (Chefe de Redação da Band Paraná).
Na entrevista foram discutidos diversos pontos sobre segurança pública e criminalidade, oportunidade em que Rafael Vianna discutiu possíveis soluções para os altos índices de criminalidade e apresentou sua teoria das três grandes áreas da segurança pública.
Com uma linguagem simples e acessível, Vianna possibilita que todos entendam a segurança pública e consigam pensar de forma geral o problema e suas soluções.
O programa foi dividido em 04 partes e disponibilizado no youtube, podendo também ser assistido na coluna entrevistas ao lado.
Entrevista Coletiva Delegado Rafael Vianna:
Parte 01. Neste bloco são apresentadas as 03 grandes áreas para se pensar soluções para a segurança pública.
http://www.youtube.com/watch?v=SBPPIioF3z0
Parte 02. Neste bloco são tratados temas como: a solução para a impunidade, a necessidade do direito penal mínimo, redução das atribuições da polícia, crimes violentos, escolas criminológicas e as causas da criminalidade...
http://www.youtube.com/watch?v=UPHvm2wMi_I
Parte 03. Neste bloco são tratados temas como: homicídios, desigualdade social, valores sociais e existenciais, estigmatização positiva...
http://www.youtube.com/watch?v=OxkS21NWD1s
Parte 04/Final. Neste bloco são discutidos temas como : imprensa e criminalidade, liberdade e intervenção estatal, casos de sucesso na área de segurança pública, a teoria da tolerância zero...
http://www.youtube.com/watch?v=9Pv6Hu6qcBo

sábado, 8 de outubro de 2011

Segurança, Drogas e Criminalidade - Entrevista Gazeta do Povo

Gazeta do Povo entrevista o Delegado Rafael Vianna.
(Clique sobre o título para ler e assistir a entrevista na íntegra)
06/10/2011 - O delegado Rafael Vianna, autor do livro “Diálogos Sobre Segurança Pública: o fim do estado civilizado”, comenta o impacto das drogas na criminalidade, a importância do aspecto social para a segurança e defende menor atribuição da polícia.
O delegado Rafael está longe de ser um pessimista. Mas, em seu recém-lançado livro, ele manda um recado quase subliminar: se a sociedade não repensar seu papel, o Estado civilizado chegará ao fim. A preocupação vai desde o papel da polícia até as políticas de segurança baseadas no combate às drogas.
Vianna adota uma posição lúcida – e de certa forma ousada – ao afirmar textualmente que os entorpecentes não causam a criminalidade e que o Estado erra na luta contra o tráfico: “A maioria dos traficantes presos são usuários que vendiam droga para comprar droga”, diz.
Para ele, a polícia não consegue resolver tudo: quanto mais serviço ela tiver, mais ineficaz será. No livro, o delegado traz ainda orientações simples de prevenção ao crime aos cidadãos.